“A forma como você vê o mundo vai depender das emoções que experimenta” – Dom Miguel Ruiz

Você costuma se irritar com tudo? Você costuma acreditar que as pessoas ao seu redor são lentas demais? Você acha que o mundo conspira contra a sua felicidade e paz interior?

Pois, eu vou te contar algo que eu descobri: nossa percepção de tudo o que acontece, e sobre todas as pessoas que passam por nosso caminho durante o dia, está diretamente ligada ao nosso estado emocional naquele instante.

Quando alimentamos sentimentos como raiva ou medo tudo ao nosso redor parece querer confirmar para nós que faz todo sentido nos sentirmos dessa forma.

Passamos a enxergar situações de perigo nos noticiários, podemos até mesmo nos acidentarmos (mesmo que seja uma simples topada naquela quina da cama).

Passamos a interpretar tudo e a todos como se fizéssemos parte de um grande complô, como se todos estivessem empenhados em nos fazer mal, em nos tirar do nosso centro, em nos irritar.

Quando alimentamos sentimentos como ciúme, por exemplo, passamos a enxergar motivos, onde, na realidade, não existem, para comprovar que estamos certos em ficarmos realmente preocupadas com a lealdade de um outro alguém.

Então, procuramos por mensagens comprometedoras e, se não existem, logo pensaremos que podem ter sido apagadas.

Vemos nosso amor conversando com um membro do sexo oposto, e logo já imaginamos a história linda de amor que eles provavelmente estão vivendo sem que nós saibamos.

Quem nunca?

O que quero esclarecer aqui é que o mundo não está contra você! E é fundamental que entendamos isso em sua profundidade.

As pessoas seguem suas vidas, assim como você, enfrentando seus monstros em uma batalha diária, procurando uma forma de se sentirem realmente felizes.

O que quero te dizer é que, por mais que pareça o contrário, a sua percepção sobre o que fazem ou dizem tem muito mais a ver com os programas ativos em sua mente, ou seja, estão muito mais relacionadas aos seus dramas pessoais, ao que você está enfrentando internamente, mesmo que inconscientemente.

Quando nos fortalecemos emocionalmente, passamos a entender que o outro não tem o poder de tirar a nossa paz, mesmo que essa seja a sua intenção.

Quando alguém se dirige a você de forma ríspida, por exemplo, isso diz respeito a ele, e não a você, e se, por um acaso, isso te faz mal, e você se sente ofendida, o problema não é o que foi dito, mas o fato de que isso ativou alguma memória em você ainda doída, uma ferida ainda exposta e que precisa ser curada.

A cura está em você mesma.

Olhe para dentro e perceba o que você sentiu, e trabalhe em você, não no outro.

Não gaste sua energia tentando culpar o outro, pois, você tem o poder de curar a sua vida, e não depende de ninguém para isso.

Procure desenvolver o seu poder pessoal e a sua liberdade emocional.

O que desejo que você comece a colocar em prática a partir de hoje é não levar nada para o lado pessoal.

Ninguém, acredite em mim, pode fazer mal algum contra você se você não permitir que suas emoções sejam contaminadas por pensamentos negativos, por crenças que te limitam a ser o seu melhor.

Não leve a vida tão a sério. Sorria mais. Ame mais.

Divirta-se com essa aventura que é viver.

Deixe uma resposta