Aprendendo a ser melhor através dos nossos erros

Aprendemos, desde muito cedo, que devemos ser melhores em tudo. A melhor aluna da classe. A melhor esposa. A melhor mãe. A melhor amiga. A melhor filha.

A MELHOR, assim mesmo, com todas as letras maiúsculas e em negrito, para que todos nos vejam como as supermulheres que somos.

“Só que não”!

Percebo que essa cobrança excessiva tem criado a maior parte dos transtornos psíquicos e físicos que encontramos por aí.

Estamos nos perdendo de nós mesmas, a ponto de já não sabermos quais são, de fato, os nossos desejos e isso, realmente, me assusta.

O fato é que estamos todos tentando desempenhar o nosso melhor papel. Estamos todos juntos nessa jornada. E, por isso, não há ganhadores ou perdedores. Não há melhor ou pior.

A verdade é que todos nós erramos e não há, ou não deveria haver, nenhum problema nisso.

Precisamos de mais pessoas que sejam capazes de olhar em nossos olhos e dizer que foi apenas um dia ruim, que vai passar, e que vai ficar tudo bem!

Que nos enxergue e nos diga em alto e bom som: Ei, você, se, por acaso, nada sair como planejado, levanta a cabeça e recomeça! Você consegue!

Precisamos, urgentemente, de mais incentivadores e menos acusadores e isso precisa começar em nós.

Aprendemos, desde muito pequenos, que errar é feio, vergonhoso e, portanto, deve ser evitado. Essa crença é tão forte em nós que, em muitos casos, sentimos raiva quando alguém ou, ainda pior, quando nós não acertamos.

Seguimos, assim, nos cobrando, nos culpando, nos envergonhando de nós mesmos e crucificando até mesmo aqueles que amamos por não serem perfeitos.

Por isso, hoje eu te convido a olhar com um pouco mais de gentileza para si mesmo e para os outros para, assim, ser capaz de aceitar que são as imperfeições que nos fazem únicos e que é através dos erros que se aprende a ser melhor.

Que possamos desaprender a arte de julgar e aprender a amar incondicionalmente a nós mesmos e aos outros a ponto de sermos capazes de acolher.

Hoje eu te proponho olhar para seus erros não como um fracasso, mas como uma grande e linda oportunidade para crescer e aprender novas formas de ser e viver.

Que possamos aprender a nos olhar com o mesmo amor e compaixão que olhamos para uma criança indefesa.

Que sejamos capazes de nos olhar como Deus nos olha diante de nossos piores erros. Um olhar que acolhe e que é capaz de perdoar por saber que fizemos o nosso melhor diante de nossas condições naquele momento.

Não se limite a acreditar que você é o resultado daquela prova de final de ano. Você não é. Você não é a sua demissão. Não é o relacionamento que não deu certo.

Seus erros, definitivamente, NÃO te definem.

Você é mais, você pode mais, você pode ser aquilo que desejar ser.

Eu não sei se você sabe, mas apenas 10% de um problema ou situação indesejada é o que acontece com você, os outros 90% é a forma como você lida com a situação.

Não me importa Como você tem enfrentado seus dias até aqui, hoje eu te convido a escolher fazer diferente. Hoje, eu te convido a reassumir a posse da sua vida.

Hoje eu te convido a desbloquear o fluxo da sua vida e deixar-se fluir, deixar-se ser!

Você está no controle! Assuma-o

 

Conheça mais dos meus textos em Superela

Deixe uma resposta