Você é feliz com as escolhas que você fez?

 

Você já parou para pensar que toda a sua vida aconteceu com base em suas próprias escolhas?

Diga-me: você é feliz com elas?

Antes de responder a essa pergunta, primeiramente, olhe para dentro de si mesmo(a) e reflita:

Sinceramente, você se lembra dos motivos que o(a) levaram a fazer essas escolhas?

O que quero dizer é que a vida pode parecer ser difícil, mesmo quando se trata das escolhas que nós mesmos fizemos.

O fato é que, mesmo escolhendo a vida dos nossos sonhos, às vezes, a rotina cansa. E não há nenhum problema em admitir isso para si e para o mundo.

O filho grita. A faxina desgasta. O marido reclama. O chefe vira a cara. O trabalho que tinha que ser feito sai todo errado. O pagamento atrasa ou reflete uma situação financeira não tão agradável.

Sim, eu sei que a vida está corrida e o fato é que ela pode deixar muita gente perdida em meio a tantos afazeres e cobranças e, ainda pior, pode deixar muita gente perdida de si mesma, perdida daquilo que a define e que a faz pulsar.

Perdida de toda a motivação que a levou a desejar estar onde está.

O que eu quero dizer é que, mesmo quando tudo parece cansativo demais, isso não quer dizer, necessariamente, que você fez as escolhas erradas.

Às vezes, é só uma questão de aprender a dizer não e  dar-se o descanso merecido e, então, reencontrar-se com seu verdadeiro propósito de vida.

De aprender a dizer não para todo e qualquer padrão de pensamento que lhe diz que você precisa dar conta de tudo o tempo todo.

Certo dia, li que mais vale uma esposa e mãe feliz do que uma casa bem arrumada.

E isso nos faz pensar em quantas vezes deixamos de dizer o não que nos permitiria, de fato, ter mais tempo para o que é essencial.

Colocamos a culpa em tudo, mas o fato é que quando aprendemos a ser verdadeiramente autênticos(as), o mundo fica mais leve e, consequentemente, a gente fica mais leve também.

Suavizamos, assim, nossas expressões e o nosso coração, e temos mais tempo para sermos gentis e amáveis com quem realmente importa.

O fato é que quando falamos sim querendo dizer não por medo de magoar alguém, por medo de não sermos aceitos(as) fatalmente nos transformamos em nossa pior versão, e é exatamente ela que entregamos a quem estiver por perto e afastamos aqueles que, no final das contas, não queríamos ferir.

No entanto, eu sei, existem coisas que precisam ser feitas, mesmo que estejamos cansados. Afinal, uma certa rotina faz com que tudo seja possível. Mas, porque não escolher fazê-las com um pouco mais de leveza?

Certa vez, estava me sentindo cansada, e tudo o que eu mais queria era ficar quietinha no meu canto, mas eu precisava trabalhar, então, resolvi buscar dentro de mim as razões pelas quais eu escolhi fazer o que eu faço e, conforme fui encontrando os inúmeros motivos que me trouxeram até aqui, de repente, eu me peguei fazendo meu trabalho renovada, com o amor e a paixão até então adormecidos pela minha falta de conexão comigo mesma.

Portanto, na minha sugestão de hoje, eu o(a) convido a não deixar de lembrar a si mesmo(a), todos os dias, os motivos pelos quais você desejou estar onde está.

E, então, viva com prazer e sabedoria cada uma de suas escolhas!

 

Texto desenvolvido para O Segredo

Deixe uma resposta