É PRECISO APRENDER A AMAR

Infelizmente, muitos são os que perderam a fé no amor. E, por isso, falar de amor hoje em dia, ouso dizer, é quase que uma afronta.

Mas, a verdade é que o feliz para sempre exige uma coragem, que quase ninguém está disposto a ter.

Relacionamentos descartáveis formam e transformam o mundo de hoje em uma cultura egocêntrica, onde cada um pensa somente na própria felicidade.

Se algo nos desagrada, se algo sai do nosso controle, ora, porque não trocar?

Tudo se encontra tão fácil, tão substituível, tão triste.

Porque antigamente o amor parecia funcionar mais do que hoje?

Eu te respondo.

Porque eles sempre souberam a diferença, a sutil diferença entre amar por conveniência e amar de verdade.

Amar apesar de.

50 anos de casados, e você acredita que nunca houve uma vontade de ir embora? De largar todas aquelas manias irritantes, todas as palavras ditas e não ditas, todas as feridas na alma, e seguir caminhos opostos?

60 anos de casados, e você realmente acredita que foi fácil?

A vida a dois não é formada por príncipes e princesas. Mas, por Seres Humanos reais, de carne, osso, coração e defeitos.

Eu acredito no amor que, com todas as suas imperfeições, se faz completo.

Eu acredito no amor, que só é amor porque há comprometimento de ambos para fazer dar certo.

Fácil é amar o outro quando todos os ventos sopram a favor. Quando o outro está com o seu melhor perfume e o seu melhor sorriso.

Difícil é amar quando o sorriso se esconde atrás daquela cara amarrada. Difícil é amar quando o outro está tão cansado, que nem ao menos tem coragem para nos dar um beijo de boa noite. Difícil é amar quando o outro nos força a sair da nossa zona de conforto. Difícil é amar sabendo que para amar é preciso saber perdoar.

Perdoar aquelas palavras, que devido ao calor do momento, foram proferidas contra nós e nos feriram a alma. Perdoar quando o outro não puder nos oferecer o colo, porque é ele quem precisa de colo naquele instante.

Perdoar quando o outro deixa de ser perfeito para ser real.

Fácil é amar nas férias ou nos finais de semana. Difícil é amar em meio a tantos problemas e desassossegos do dia a dia.

É fácil amar quando o outro nos ouve sem pestanejar, sem reclamar. Quando o outro concorda com nossas opiniões e nos faz prioridade em sua vida.

Difícil é amar quando o outro deixa de fazer as nossas vontades, porque ninguém deve viver com o único e simples objetivo de satisfazer os nossos desejos.

Difícil é depois de uma briga, ter coragem e determinação de abraçar o outro, de mostrar a ele que não será assim tão fácil deixa-lo.

Difícil é priorizar o amor, mesmo em dias chuvosos.

Difícil é escolher o outro, todos os dias, mesmo quando o outro se faz imperfeito.

Difícil é ver o outro desabar e estar disposta a segurá-lo e a reergue-lo, quantas vezes for preciso.

Difícil é amar quando o outro perde o charme e fracassa. Quando o outro perde o rumo de si próprio.

Difícil é comer aquela torrada queimada e ainda assim se sentir feliz, porque sabe que o outro fez o melhor que podia naquele instante.

Difícil é entender que o amor é um sonho que se sonha junto, e que com todas as suas dificuldades se faz real, se faz importante e necessário.

Difícil é entender que o amor é isso. É aprender a valorizar os momentos que suas mãos se tocam e seus olhares se cruzam, e mesmo sem uma palavra se quer, entender que nenhum outro lugar do mundo seria melhor do que ali, ao lado de quem se ama.

Um desafio diário.

Amar a ponto de nos pequenos afetos enxergar a razão para continuar de pé, continuar ao lado, continuar em frente.

Deixe uma resposta