A era da felicidade inventada

Que você tire muitas fotos para poder postar no Facebook ou em qualquer outra rede social da qual participe.

Não, não há nada de errado em querer compartilhar sua felicidade, suas conquistas e porque não até mesmo suas derrotas.
Sim, você pode querer deixar que as pessoas que estão distantes vejam como você fez aquele prato bonito e saboroso para o almoço de domingo.

O problema, o que faz com que eu me assuste a cada dia, é perceber que a fotografia, o registro do momento tem ofuscado a importância do fato em si.

Deixamos de assistir a um show, de beijar demoradamente o amor de nossas vidas, de apreciar a vista após horas escalando a montanha, de prestar atenção aos detalhes que fazem a diferença para tirar meras fotografias.

Deixamos de lado nossos filhos e as conversas ao redor da mesa durante um jantar em nome de uma fúria quase doentia por mostrar-se, conectar-se a sabe-se lá Deus quem.

Penso que toda essa necessidade em mostrar que estamos felizes, seja quase que uma busca incessante de provar a nós mesmos que realmente somos tão felizes.

Mas, até que ponto você realmente é feliz? Por que não gastar essas horas preciosas com algo que realmente irá mudar sua forma de encarar a vida? Por que não buscar reinventar-se ao invés de viver para inventar uma verdade que você sabe que não é real? Por que deixar para ser feliz amanhã? Por que depender da aprovação alheia para acreditar em si mesma?

Nos esquecemos que a vida é o agora. Que talvez o amanhã nem mesmo exista.

E quer saber o que eu realmente desejo?

Que você tenha momentos que, de tão especiais, de tão interessantes e significativos, te façam esquecer de tirar aquela selfie para o Instagram.

Que sua vida não precise de filtros para parecer bonita e feliz. E que ela seja de verdade e não apenas mais uma realidade inventada.
Que você se ache tão bonita que não precise postar fotos para receber aqueles milhares de falsos elogios.

Que seja você mesma a responsável por manter sua autoestima em alta.

Que seu relacionamento seja realmente harmonioso e não apenas enfeite sua página do Facebook.

Que você seja capaz de assumir um relacionamento sério com a sua própria vida, com a sua vida de verdade e com as pessoas que são, de fato, de verdade.

Deixe uma resposta