“Não é SORTE, é DEUS”

Foi o que eu li, um dia desses e, apesar de acreditar na profundidade dessa verdade, eu prefiro ir além e dizer:

Não é sorte, é Deus, e uma boa dose de atitude e otimismo frente à vida.

O fato é que estamos todos acostumados a olhar o outro, e a nós mesmos, de forma muito superficial e, ainda pior do que isso, seguimos nossos dias nos comparando àqueles que tiveram sucesso, como se nós fôssemos verdadeiras vítimas da escassez, na qual nossa vida se encontra.

O fato é que nos preocupamos em analisar o fim, mas nos esquecemos que, para todo fim, há um início, no qual é preciso ter a coragem de dar o primeiro passo, e também um meio, repleto de lutas, tombos e conquistas.

O problema é que a palavra sorte vem carregada de um preconceito, que retira toda e qualquer responsabilidade do indivíduo em questão. Como se ter sorte fosse uma espécie de privilégio, e não uma consequência de um tremendo esforço para seguir em frente, mesmo quando a vontade era parar.

Quem olha meu pai hoje, por exemplo, talvez, pense que ele teve mesmo é muita sorte na vida. Mas todos nós, que caminhamos lado ao lado com ele sabemos, e como sabemos, quantos foram os percalços durante toda sua trajetória.

Atingir o sucesso em qualquer área da vida, na verdade, tem a ver com adotar uma combinação de atitudes que sim, inclui uma fé inabalável na grandiosidade do poder de Deus em nossas vidas, mas que também reflita a nossa capacidade de, após um tombo, levantarmo-nos, e sermos ainda melhores do que antes.

A sorte acontece para aqueles que tem a ousadia de fazer acontecer.

Hoje, resolvi escrever citando meu pai como meu melhor exemplo de superação, pois foi ele quem me ensinou, não com palavras, mas com atitudes, que sorte só tem mesmo quem está disposto a assumir os riscos, e a encarar a vida com toda garra necessária para obter o seu objetivo.

Tem sorte, na realidade, quem se dispõe e não se opõe aos desafios que a vida lhe entrega.

Quem não desanima, mesmo diante do caos.

A sorte é de quem é capaz de acreditar em Deus, no mundo e, principalmente em si mesmo, tendo a certeza de que somos todos co-criadores de nossa própria sorte.

Vejo tantas pessoas reclamarem da sua vida, sempre tão desafortunada, mas realmente são poucas as que se levantam e, de verdade, correm atrás do seu sonho com foco, fé e muita determinação.

E, portanto, hoje eu te convido a refletir: O que você tem feito para vir a ser, de fato, uma pessoa de sorte?

Aí está uma pergunta que todos nós deveríamos nos fazer diariamente. E, sim, eu também me incluo nesse pacote.

Tenho fé que Deus tem para nós o melhor de todos os mundos, e deseja que nós vivamos de acordo com a Sua vontade, mas, de verdade, você tem feito a sua parte?

Ore, peça, reze, agradeça, mas vá em busca de ser o seu melhor para o mundo no qual você vive.

E seja você também uma pessoa de muita sorte.

Deixe uma resposta