Sobre ela – O mundo visto através dos olhos dela

Ela tem mania de colocar a própria dor no bolso, para poder despertar o sorriso daqueles que ama. E, com isso, aprendeu a ser forte, mesmo quando suas pernas permanecem bambas.

Vez ou outra,  também se vê com o coração apertado, e os olhos cheios de lágrimas.

Nesses momentos, reza baixinho, e em Deus, encontra o conforto de que precisa.

Quem a olha de longe, imagina que não tenha cicatrizes.

Mas ela as tem, e aos montes.

Ela aprendeu que não deve deixar seus sentimentos expostos.

Porque poucos são os que saberiam lidar com a sua dor.

Ela parece não sentir. Parece não pensar.

Mas pensa. E sente.

Sente saudades daquele que já se foi, sem nem ao menos poder dizer um adeus.

Sente saudades de um tempo que já não existe mais.

Mas aprendeu que a vida é feita de escolhas, e que para cada escolha, um novo rumo, uma nova história.

E aceitá-la, é também uma forma de sabedoria.

Aprendeu que toda fase da vida traz consigo grandes aprendizados, e decidiu descobri-los por conta própria.

Ela sente saudades de quando ainda acreditava que o mundo era feito somente de pessoas do bem.

Ela sente, e pensa, sobre as injustiças que acontecem ao seu redor, mas sabe que pouco adianta reclamar, sem antes alterar as próprias atitudes diante do mundo

Ela é daquele tipo que chora, mas que quase ninguém vê. Porque poucos são os que conseguem enxergar sua alma.

Ela é doce por fora. E uma mistura de sabores por dentro

Descobriu, enfim, que cultivar pensamentos positivos é, talvez, a única maneira de sobreviver à tanta insanidade.

Por isso, busca extrair do caos, um motivo para continuar lutando.

Ela aprendeu a conversar com Deus, e todos os dias lhe faz uma prece:

Que eu seja forte.

Que eu resista, mesmo que os ventos estejam contrários.

E a cada dia ela é mais dela

Ela sempre foi amparo, para aqueles que se encontravam perdidos. E poder ajudá-los, sempre despertou nela o desejo de continuar

Ela não sabe viver em paz, se aquele que ama estiver em guerra.

Gosta de cuidar, e hoje aprendeu também a cuidar de si mesma.

No tempo do desapego, ela se apega.

Se apega ao amor que sente pelos seus pais, marido e filhos.

Se apega aos seus sonhos, e luta por eles diariamente.

Se apega às inúmeras oportunidades que lhe são apresentadas a cada novo dia

Desde muito cedo, reflete sobre tudo a sua volta, enquanto os outros apenas a imaginam

Ela descobriu que para tudo há uma resposta, mas que às vezes preferimos fechar nossos olhos e ouvidos.

Ela acredita no amor, mesmo que seu coração já tenha sido dilacerado

Afinal, ela entende, uma pessoa errada não deve ter o poder de derrubar um sentimento tão nobre

Deixe uma resposta